Beijo grego cuidados e precauções

beijo gregoO ânus é uma das regiões mais eróticas do corpo humano; repleto de terminações nervosas, carícias nessa região podem proporcionam sensações fortes e incríveis. Há vários modos de estimular o ânus, mas uma das formas mais inusitadas é com o uso dos lábios e da língua (beijo grego). Lamber, sugar, morder ou até mesmo penetrar o ânus com a língua pode ser muito excitante.

Apesar de muito estimulante, o beijo grego – assim chamado por ter sido uma prática comum entre os homens na Grécia Antiga – não é pra qualquer um e requer uma série de cuidados e precauções.

Como qualquer outra prática sexual, o contato com o ânus pode transmitir várias doenças, como, por exemplo, hepatites, sífilis, gonorréia ou herpes. Além disso, o ânus contém bactérias do intestino e o contato com a boca, assim como a mínima ingestão de fezes, pode transmitir centenas de doenças perigosíssimas, como giardiose, poliomielite, cólera ou até mesmo vermes ou parasitas.

Se a pessoa tiver ingerido alguma carne mal cozida, as fezes podem transmitir Hepatite A, mesmo que ela em si não seja portadora da doença ou não demonstre nenhum sintoma.

Como se prevenir? Uma boa limpeza no local, ou talvez até mesmo um enema, reduz bastante as chances de contaminações. Mas o único modo de se preveniir totalmente das doenças, especialmente as sexualmente transmissíveis, é com o uso de uma camisinha adaptada.

Pode haver feridas microscópicas tanto na boca quanto no ânus e a mínima troca de sangue é suficiente para a transmissão de DSTs. A flora bacteriana do intestino também não deve jamais entrar em contato com o genital, especialmente a vagina.

Se você não se encontra em um relacionamento monogâmico, é praticamente impossível se certificar da higiene e da saúde sexual do parceiro. Você pode simular um beijo grego com o dedo e uma camisinha bem lubrificada. Para quem recebe, a sensação é muito parecida e você não precisa correr nenhum risco.

Vantage Theme – Powered by WordPress.
Pular para a barra de ferramentas